Atualizado em: 27 de janeiro de 2022 às 11:08h
Encontre o que você precisa aqui:

Campanha de vacinação contra a febre aftosa tem prazo prorrogado, em Alhandra

Início Campanha de vacinação contra a febre aftosa tem prazo prorrogado, em Alhandra

A vacinação contra a febre aftosa no município de Alhandra teve prazo prorrogado de 30 de novembro para 30 de dezembro. De acordo com a Prefeitura de Alhandra, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura, seguindo recomendação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Governo Federal diante do pedido da Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca da Paraíba, a segunda etapa de vacinação da campanha segue até o dia 30 deste mês no estado. 

 

O prazo terminou no último dia 30 de novembro, mas segue agora até o dia 30 de dezembro e a entrega da declaração da vacina na Unidade Local de Sanidade Animal e Vegetal (USLAV) será até o dia 10 de janeiro de 2022. 

 

O medicamento é disponibilizado gratuitamente, aos criadores cadastrados na Secretaria do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (SEDAP), para imunização dos animais e pode ser solicitado no município. Essa etapa tem o objetivo de vacinar os animais de 0 a 2 anos. As doses estão disponíveis na Secretaria Municipal de Agricultura, e os criadores das 8h às 13h, durante toda a semana.

 

A doença, que também afeta caprinos, ovinos e suínos, traz prejuízos e restrições na comercialização de produtos pecuários. O último foco da doença no Brasil ocorreu em 2006. Desde 2018, todo o território brasileiro é reconhecido internacionalmente como livre de febre aftosa (zonas com e sem vacinação) pela Organização Mundial da Saúde Animal (OIE). Das 19 unidades da Federação que fazem a vacinação neste período, no Amazonas e em Mato Grosso participam apenas os municípios que ainda não têm reconhecimento de áreas livres de febre aftosa sem vacinação.

 

Nos estados reconhecidos como livres de febre aftosa sem vacinação – Acre, Paraná, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, parte do Amazonas e Mato Grosso –, é proibida a aplicação e comercialização desse imunizante.

 

Conforme o Plano Estratégico do Programa Nacional de Vigilância para a Febre Aftosa (Pnefa) 2017-2026, a meta é que todo o território brasileiro seja considerado livre de febre aftosa sem vacinação até 2026. Atualmente, em torno de 70 países têm esse reconhecimento pela OIE.

 

Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), devem ser mantidas entre 2°C e 8°C, desde a aquisição até o momento da utilização – incluindo o transporte e a aplicação, já na fazenda. Devem ser usadas agulhas novas para aplicação da dose de 2 mililitros na tábua do pescoço de cada animal, preferindo as horas mais frescas do dia, para fazer a contenção adequada dos animais e a aplicação da vacina.

 

Além de vacinar o rebanho, o produtor deve também declarar ao órgão de defesa sanitária animal de seu estado. A declaração de vacinação deve ser feita de forma online ou, quando não for possível, presencialmente nos postos designados pelo serviço veterinário estadual nos prazos estipulados. Em caso de dúvidas, o criador deve procurar o órgão de defesa sanitária animal da sua região.

 

fonte: assessoria de Comunicação da Prefeitura de Alhandra

texto: Wagner Mariano 

foto: ascom

14/12/2021

Compartilhar

Notícias Relacionadas

Ao continuar navegando no nosso portal, você concorda com a nossa Política de Privacidade. Para ter mais informações, acesse nossa página de Política de Privacidade

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support